FANDOM


Drakan

Drakan

Os primeiros habitantes de Atreia , criadas por Aion para governar sobre as outras criaturas que vieram depois. Alguns dos Drakan mais ambiciosos logo encontraram uma maneira de explorar o poder além do alcance dado por Aion, e ascenderam para se tornar os Dragon Lords, os primeiros Balaur. Em sua ânsia de poder, se tornaram tiranos sobre todos os outros habitantes do planeta.


Drakan LoreEditar

Nos primeiros dias de Atreia, Aion criou os Drakan para governar e cuidarem de todas as outras raças como um império de paz e ordem. Os seres humanos, Sapiens, e Drakan viviam em paz um ao lado do outro. Embora algumas tribos ocasionalmente batalhassem, a ameaça de intervenção dos Drakan era suficiente para parar essas guerras.

A maioria dos registros sobreviventes desta era são dos Drakan e fazem pouca menção de seres humanos. Sabe-se apenas que pequenos grupos tribais localizados principalmente perto de rios e costas, sobreviviam da pesca e coleta. Eles adoravam Aion como o criador e protetor de todas as coisas e obedeciam aos Drakan, sabendo que era a sua vontade.

O domínio completo do Drakan sobre a terra, inevitavelmente, trouxe a sua corrupção. Cinco de seus líderes, buscando expandir seu poder, bateram em uma fonte desconhecida de energia e tornaram-se os cinco Dragon Lords - um processo evidentemente semelhante ao de Ascensão. Eles usaram essa energia para fazer com que algumas das suas espécies "ficassem mais fortes", bem como, transformá-los nos Balaur. Não mais satisfeitos em serem os mordomos de Atreia, eles se declararam seus governantes absolutos e todos as "menores" raças seriam seus servos.

Os Sapiens começaram a adorar os Dragon Lords como deuses, mas os seres humanos , fiéis a Aion, não. Então Aion premiou os seres humanos devido a sua fé com a força necessária para resistir aos Balaur . Doze Empyrean Lords nasceram, seres divinos de poder igual ao dos Dragon Lords. Não se sabe se os Empyrean Lords eram seres humanos ascendidos ou eram totalmente formados a partir do Aether. Os textos existentes contêm as duas versões da história e os Senhores se recusam a falar sobre o assunto.

Após os Empyrean Lords começarem a liderar a humanidade, outros Humanos começaram a ascender como Daevas, embora nenhum deles se igualassem ao poder dos Empyrean Lords.

Amparados por seus novos poderes divinos e sua fé em Aion, os seres humanos começaram uma rebelião contra os Balaur. Eles encontraram resistência de quase todos os outros Sapiens, que agora adoravam os Dragon Lords. Liderados pelos Empyrean Lords, os Daevas voaram em toda a terra, a fim de libertar os humanos da escravidão dos Drakan e começaram a atacar os Balaur.

Os Empyrean Lords levaram os seres humanos libertados para a base da Torre da Eternidade, onde eles prometeram a Aion mantê-los seguros. Graças às orações dos Lordes, Aion levantou o Campo de Aether ao redor da torre, criando uma área onde os Balaur não podiam entrar, e os humanos pudessem viver em paz.

A partir desta fortaleza, os Empyrean Lords continuaram a liderar a guerra contra os Balaur. Como mais seres humanos ascendiam a Daevas, acumulou-se mais poder e experiência. 

Os Balaur não poderiam atacar a fortaleza de humanos protegidos pela  Campo de Aether, mas estes, também, não poderiam derrotar todos os Balaur e o Sapiens. E assim a guerra se arrastava em um impasse que durou mil anos...